Como gerenciar conflitos internos em equipes de vendas?

Gerenciar conflitos internos é uma tarefa que, mais cedo ou mais tarde, terá que ser executada pelo gestor. Muitas vezes, ambientes competitivos — em que os funcionários trabalham sob pressão — aumentam as chances de discordâncias entre os colaboradores, abrindo espaço para discussões e disputas.

Em equipes de vendas isso pode acontecer com mais frequência. Em meio a outros vendedores e a uma rotina estressante, não são raros os casos em que profissionais tentam prejudicar os outros para bater metas. Impedir essa prática é mais um dos desafios de quem está na liderança.

Conflitos geram um clima pesado, prejudicam a produtividade, a relação com os clientes, etc. Se você não quer isso acontecendo na sua loja, veja agora o que você deve fazer para gerenciar conflitos internos na sua equipe de vendas!

Seja neutro ao gerenciar conflitos internos

Apoiar determinado funcionário pode ser pior do que você imagina na resolução de um conflito. Ao fazer isso, o líder passa a impressão que prefere um colaborador a outro, e isso apenas enfraquece a credibilidade do gestor.

Dessa forma, sempre seja isento. Trate as partes da mesma maneira e não beneficie apenas um dos lados. Todos devem ser beneficiados, já que não se trata de uma competição, mas de um trabalho em equipe que precisa gerar bons resultados para o time inteiro.

Estimule o diálogo sempre

A comunicação é fundamental para que um gestor possa diminuir as chances de conflitos. Por isso, sempre seja claro em relação a metas, funções e outros pontos importantes que podem gerar discussões. Ser transparente e sincero com os funcionários evita discordâncias.

Além disso, ao gerenciar conflitos, estimule o diálogo racional entre as partes. Conversar é a saída mais profissional e diplomática diante de atritos, e o papel de um líder é conduzir os envolvidos para esse caminho. Dialogar diminui o dano causado pela discussão e gera calma para que uma solução seja acordada. Por isso, você deve ser a primeira pessoa a estimular o diálogo em meio a qualquer conflito.

Tenha empatia

Colocar-se no lugar das pessoas é muito importante. Com empatia, você consegue compreender o que pode ter causado o atrito, quais são os sentimentos e as opiniões de cada um e propor uma solução.

Não se esqueça de manter a neutralidade. A empatia deve ser com todos, e não apenas com um ou outro funcionário, para não passar a impressão de que está tomando partido.

Foque nos fatos

É fundamental, na resolução de um conflito, se ater aos fatos. Ou seja: mantenha o foco no que aconteceu, sem julgar pessoas ou personalidades, por exemplo. A função de um gestor não é apontar culpados, mas encontrar soluções com base na realidade.

Portanto, não dê atenção a outras questões que não têm relação com o acontecimento causador do conflito. Foque nos fatos e utilize-os para embasar suas decisões. Ao fazer isso, você não deixa margem para questionamentos e consegue gerenciar conflitos internos com mais eficiência.

Gostou das nossas dicas? Então compartilhe este post nas suas redes sociais e ajude outras pessoas a gerenciar conflitos internos!

Comentários

comentário(s)

Ir para o topo